AS VÁRIAS MEMÓRIAS DE LÍVIO LOPES CASTELO BRANCO

Palavras-chave

Piauí. Lívio Lopes Castelo Branco. Política. Memória.

Resumo

Neste artigo, analisam-se discursos produzidos na imprensa oitocentista relacionados à construção da memória de Lívio Lopes Castelo Branco, fazendeiro e político liberal que se envolveu na Balaiada. Tratamos da criação do jornal O Telégrafo, das motivações para seu aparecimento, e analisamos as diversas representações negativas sobre o político. Discutimos, a partir dos escritos de Lívio Lopes, como ele enfrentou as agressões dos conservadores e os seus próprios ressentimentos, bem como as tentativas de criação de uma memória que confrontasse aquela veiculada sobre ele na imprensa. Na elaboração do trabalho, foram utilizados como fontes os jornais O Telégrafo, O Repúblico, O Grito Nacional e ainda os Anais do Parlamento Brasileiro. Quanto à historiografia, dialoga-se com DIAS (2014), CARVALHO (2019, 2020), CASTELO BRANCO (2019), RÊGO (2001), RICOEUR (2007) e POLLAK (1989).