DESCRIÇÃO DA INCIDÊNCIA DOS CASOS DE SUICÍDIO NO NORDESTE BRASILEIRO NO PERÍODO DE 2010 A 2018: UM ESTUDO ECOLÓGICO

Resumo

As definições de suicídio abrangem a ideia de interromper, por meio de ato voluntário, a própria vida. Esse desejo resulta de uma pressão multidimensional que age sobre o indivíduo e envolve o desejo de morrer, ser morto e se matar. Considerado como tabu, o suicídio por muito tempo foi um tema pouco discutido, no entanto o aumento do número de casos fez com que o assunto passasse a ser considerado questão de saúde pública, ganhando visibilidade no meio acadêmico e pelas autoridades de saúde nacionais e internacionais. No Brasil, embora considerado agravo de notificação compulsória, acredita-se que ainda há subnotificação dos dados. O trabalho justifica-se pela necessidade de conhecer e avaliar a evolução da incidência do número de mortes autoprovocadas nos estados do Nordeste brasileiro e as causas de morte relacionadas a eles. Para isso, foram coletados dados no DATASUS, no período de 2010 a 2018. A partir desses dados fez-se a análise e descrição da incidência das mortes por suicídio, bem como os métodos mais utilizados. Esses, por sua vez, foram separados em 6 grupos, de acordo com a similaridade do CID-10. Os resultados da pesquisa demonstram uma tendência de aumento no número de óbitos por suicídio, sendo enforcamento, envenenamento e armas de fogo as três causas, nesta ordem, mais relacionadas a esse tipo de morte. O conhecimento sobre as tendências e sobre os métodos mais comuns desses casos é necessário para planejamento de ações voltadas a prevenção e promoção da saúde mental no país, em especial na região Nordeste.

DESCRIÇÃO DA INCIDÊNCIA DOS CASOS DE SUICÍDIO NO NORDESTE BRASILEIRO NO PERÍODO DE 2010 A 2018: UM ESTUDO ECOLÓGICO