AS REPRESENTAÇÕES SOBRE FEMINICÍDIO NO JORNAL CIDADE VERDE (2015- 2018)
AS REPRESENTAÇÕES SOBRE FEMINICÍDIO NO JORNAL CIDADE VERDE (2015- 2018)

Palavras-chave

História. Feminicídio. Representações jornalísticas.

Resumo

O objetivo do trabalho é analisar os crimes de feminicídio ocorridos no Piauí entre os anos de 2015 a 2018, utilizando notícias coletadas do portal CidadeVerde.com. A instauração do regime político republicano provocou um frenesi pelos ideais de modernidade, através de um modelo
europeu a ser seguido. Juntamente com esse ideal de modernização, chegaram ao Brasil ideias sobre a emancipação feminina. Nas décadas de 1960 e 1970 muitas mulheres passaram a questionar sua participação na história e solicitar sua inserção na historiografia. Apesar dos diversos direitos conquistados ao longo dos anos, ainda vivemos em uma sociedade misógina. A Lei Maria da Penha nº 11.340/2006 é a principal legislação brasileira para enfrentar a violência contra a mulher, e em 2015 foi sancionada a Lei do feminicídio n° 13.104. Considerando o papel da imprensa na difusão de notícias e na formação de opinião das massas, o trabalho parte da necessidade de discutir o tema, uma vez que o crime apesar de cada vez mais recorrente ainda não possui tanto destaque na imprensa, se traduzindo em matérias pontuais que dão a falsa impressão de que os crimes de feminicídio são fatos isolados. Para o desenvolvimento do trabalho utilizamos autores como Joan Scott (1995), Ana Liési Thurler (2017) e Elizangela Cardoso (2010).

AS REPRESENTAÇÕES SOBRE FEMINICÍDIO NO JORNAL CIDADE VERDE (2015- 2018)