v. 1 n. 001 (2019): REVISTA HUMANA RES
REVISTA HUMANA RES
Caro leitor,


A Revista Humana Res é parte de um projeto idealizado pelo Centro de Ciências Humanas e Letras e pelo Núcleo de Estudos Estado Poder e Política- NEEPP, no intuito de integrar, de forma sincrônica, o ensino com a pesquisa e a extensão. Nesse sentido, este meio de divulgação eletrônica assume a função de difundir junto ao público interno e externo, o conhecimento que vem sendo produzido, no âmbito desta Instituição de Ensino Superior. É ainda pretensão desta revista constituir-se como via de acesso à produção acadêmica de profissionais de outras IES, seja no país ou no exterior, abrangendo os campos das Humanidades, Ciências Sociais, Artes e Tecnologias, publicando em suas páginas matérias enviadas para esse fim.

Com o desejo de que a Humana Res possa prosperar e se tornar um meio de comunicação efetivo e democrático para a sociedade, de forma geral, temos a satisfação de apresentar a sua primeira edição, que nos desperta as maiores expectativas quanto à relevância e à qualidade dos serviços que prestará à causa da educação e da cultura. Trata-se de um periódico interdisciplinar, que se propõe a congregar análises produzidas sob perspectivas e olhares diversos acerca da realidade local, nacional e internacional. No número de seu lançamento, Humana Res traz a público um conjunto de textos originados no IV Simpósio de História da UESPI, que desenvolveu a temática “Cultura Politica Contemporânea e Direitos Humanos”, no evento realizado em novembro de 2018.

Devido à natureza do material selecionado para compor este primeiro número, conforme já explicamos, não prevalece o caráter de uniformidade no conjunto, ao contrário, esses textos mostram interesses temporais, espaciais, temáticos, metodológicos e epistemológicos bastante variados, oferecendo ao leitor das áreas de História, Literatura, Educação e Direito, oportunidade de dialogar e refletir acerca da diversidade de temas que integram os seus campos de interesses. Essa será a filosofia a guiar Humana Res: constituir-se em espaço interdisciplinar de comunicação aberto à comunidade acadêmica.

Sejam todos bem-vindos!

 

Valtéria Alvarenga e Socorro Rios

Artigos

Camila de Macedo Nogueira e Martins Oliveira
9
A PRIMEIRA REPÚBLICA NO PIAUÍ EM OS FATORES DO COELHADO DE CLODOALDO FREITAS
A PRIMEIRA REPÚBLICA NO PIAUÍ EM OS FATORES DO COELHADO DE CLODOALDO FREITAS
Thiago Venicius de Sousa Costa, Ana Cristina Meneses de Sousa
10
A NORMA JURÍDICA DA RES PUBLICA BRASILEIRA NAS CRÔNICAS DE LIMA BARRETO
A NORMA JURÍDICA DA RES PUBLICA BRASILEIRA NAS CRÔNICAS DE LIMA BARRETO
Veruska Lauriana da Silva de Carvalho
12
TESTAMENTO VITAL: DIGNIDADE E AUTONOMIA INDIVIDUAL NO FINAL DA VIDA!
TESTAMENTO VITAL: DIGNIDADE E AUTONOMIA INDIVIDUAL NO FINAL DA VIDA!
Thaise de Sousa Araújo
8
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA: A INSTALAÇÃO DO NOVO REGIME POLÍTICO NO BRASIL
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA: A INSTALAÇÃO DO NOVO REGIME POLÍTICO NO BRASIL
Kamila Albuquerque de Araújo
13
HISTÓRIA E MEMÓRIA DAS TRABALHADORAS BANCÁRIAS PIAUIENSES
HISTÓRIA E MEMÓRIA DAS TRABALHADORAS BANCÁRIAS PIAUIENSES
Viviane Pedrazani
17
A MEMÓRIA COMO OBJETO DE (RE) CONSTRUÇÃO DO PASSADO: UM DEBATE TEÓRICO
A MEMÓRIA COMO OBJETO DE (RE) CONSTRUÇÃO DO PASSADO: UM DEBATE TEÓRICO
Maria Fernanda Fernandes
12
HISTORICAMENTE IRREVERENTE: O FILME XICA DA SILVA COMO RESISTÊNCIA AO REGIME MILITAR
HISTORICAMENTE IRREVERENTE: O FILME XICA DA SILVA COMO RESISTÊNCIA AO REGIME MILITAR
Ábdon Eres da Silva Neto, Francisco Alcides do Nascimento
17
A CRIAÇÃO DO MUNICÍPIO DE ÁGUA BRANCA- PI: ENTRE EXPECTATIVAS E DESENCANTOS (1954 E 1955)
A CRIAÇÃO DO MUNICÍPIO DE ÁGUA BRANCA- PI: ENTRE EXPECTATIVAS E DESENCANTOS (1954 E 1955)
Ulisses Araújo Pereira
14
EM SANTA QUITÉRIA A BANDA SELVAGEM E OS TITÃS NO BRASIL: CARACTERÍSTICAS E CULTURA MUSICAL DO BAIXO PARNAÍBA
EM SANTA QUITÉRIA A BANDA SELVAGEM E OS TITÃS NO BRASIL: CARACTERÍSTICAS E CULTURA MUSICAL DO BAIXO PARNAÍBA
Jéssika Maria Lima
12
A RESISTÊNCIA DO MOVIMENTO DE EDUCAÇÃO DE BASE NO PIAUÍ DURANTE O REGIME MILITAR
A RESISTÊNCIA DO MOVIMENTO DE EDUCAÇÃO DE BASE NO PIAUÍ DURANTE O REGIME MILITAR
Francielcio Silva da Costa, Naiara Ferreira da Silva, Renata Maria da Silva Oliveira, Andreia Rodrigues de Andrade
13
A IDENTIDADE CULTURAL DO REISADO EM BOA-HORA PI
A IDENTIDADE CULTURAL DO REISADO EM BOA-HORA PI
Caio Vinicius Silva Teixeira
11
HISTÓRIA E MEMÓRIA DAS FESTAS CÍVICAS EM CAMPO MAIOR-PI NA DITADURA MILITAR
HISTÓRIA E MEMÓRIA DAS FESTAS CÍVICAS EM CAMPO MAIOR-PI NA DITADURA MILITAR
Wanderson Ramonn Pimentel Dantas
14
JOVENS, ATENDEI AO VOSSO DEVER DE PROTEGER A PÁTRIA... REPRESENTAÇÕES SOBRE A GUERRA EM REVISTAS ESTUDANTIS (1942- 1945)
JOVENS, ATENDEI AO VOSSO DEVER DE PROTEGER A PÁTRIA... REPRESENTAÇÕES SOBRE A GUERRA EM REVISTAS ESTUDANTIS (1942- 1945)
Ana Karoline de Freitas Nery
16
A ATUAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE NO CUIDADO AO DOENTE VENÉREO EM TERESINA DURANTE O ESTADO NOVO
A ATUAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE NO CUIDADO AO DOENTE VENÉREO EM TERESINA DURANTE O ESTADO NOVO
Isadora Ribeiro Ibiapina, Carmina Rodrigues Bezerra, Débora Cristine Ferreira da Silva, Joseanne Zingleara Soares Marinho
19
AS REPRESENTAÇÕES SOBRE FEMINICÍDIO NO JORNAL CIDADE VERDE (2015- 2018)
AS REPRESENTAÇÕES SOBRE FEMINICÍDIO NO JORNAL CIDADE VERDE (2015- 2018)
Lívia Suelen Sousa Moraes Meneses
13
MÉDICOS E PARTEIRAS: DISPUTAS E ALIANÇAS NA MEDICALIZAÇÃO DOS PARTOS EM TERESINA (1930-1950)
MÉDICOS E PARTEIRAS: DISPUTAS E ALIANÇAS NA MEDICALIZAÇÃO DOS PARTOS EM TERESINA (1930-1950)
George Gabriel de Amorim, Marcelo de Sousa Neto
15
NASCE UM BAIRRO: UMA ANÁLISE SOBRE O PROCESSO DE FORMAÇÃO DO ITARARÉ E SUAS SOCIABILIDADES (1977-1985)
NASCE UM BAIRRO: UMA ANÁLISE SOBRE O PROCESSO DE FORMAÇÃO DO ITARARÉ E SUAS SOCIABILIDADES (1977-1985)
Sabrina Thays Bezerra Santos, Pedro Pio Fontineles Filho
12
(RE) PENSANDO A "OVELHA NEGRA": HISTÓRIA, MÚSICA E GÊNERO NA OBRA DE RITA LEE DE 1972 A 1990.
(RE) PENSANDO A "OVELHA NEGRA": HISTÓRIA, MÚSICA E GÊNERO NA OBRA DE RITA LEE DE 1972 A 1990.
Alessandra Lima dos Santos, Cláudia Cristina da Silva Fontineles
13
POR UMA IMPRENSA POLÍTICA SEM HOSTILIDADE E SEM BAJULAÇÃO NA DÉCADA DE 1970?
POR UMA IMPRENSA POLÍTICA SEM HOSTILIDADE E SEM BAJULAÇÃO NA DÉCADA DE 1970?
Franciadna Eufrazina Pimentel, Orientadora: Profª Drª Teresinha de Jesus Mesquita Queiroz
10
TERESINA, UMA CAPITAL REPUBLICANA: AS MUDANÇAS OCORRIDAS NA CAPITAL DO PIAUÍ COM A CHEGADA DO SÉCULO XX
TERESINA, UMA CAPITAL REPUBLICANA: AS MUDANÇAS OCORRIDAS NA CAPITAL DO PIAUÍ COM A CHEGADA DO SÉCULO XX