A PESSOA EM CADEIRA DE RODAS E A SEXUALIDADE
A PESSOA EM CADEIRA DE RODAS: discutindo sexualidade e barreiras atitudinais

Palavras-chave

Pessoa em cadeira de rodas
Sexualidade
Barreiras Atitudinais
Educação.

Resumo

As barreiras atitudinais são entendidas como sinônimas de preconceito e discriminação em ambientes como a escola, que, além de ter grande poder influenciador e reflexivo, está imbuída de sexualidade. Esta pesquisa buscou conhecer esses tipos de barreiras enfrentadas na sexualidade pelo estudante em cadeira de rodas, por entendê-la como um objeto visual propagador de estigmas. Catalogamos, nas principais bases de dados, pesquisas que problematizassem a sexualidade desse sujeito nos últimos dez anos (2007 a 2017), escassos foram os materiais, gerando a necessidade de um estudo de caso feito a partir de uma entrevista semiestruturada com um homem da cidade do Recife. Em seguida, através da análise de conteúdo, categorizamos o material coletado dentre as vinte barreiras atitudinais apresentadas por Tavares (2012). Evidenciou-se que a sociedade ainda põe em xeque a existência da sexualidade da pessoa usando cadeira de rodas e que a escola reforça esse desconhecimento, alimentando as barreiras atitudinais.

A PESSOA EM CADEIRA DE RODAS: discutindo sexualidade e barreiras atitudinais